Início Bebês Cólica de bebê: entenda as causas e aprenda como lidar

Cólica de bebê: entenda as causas e aprenda como lidar

-

Vocês saíram da maternidade e tudo vai muito bem em casa até que ele começa a chorar com frequência demonstrando muita irritação. Não há motivos para se desesperar. O motivo do choro pode ser uma cólica de bebê. 

Por volta da segunda semana de vida, praticamente todo bebê passa por um período de bastante irritabilidade. A princípio, é apenas uma questão de adaptação e a irritação logo passa.

Mas se o choro se tornar constante e prolongado e você sentir que nada consegue acalmar o bebê, é provável que ele esteja sofrendo com a cólica. 

Se você está lendo este artigo enquanto seu bebê chora e você não sabe o que fazer, saiba que nós entendemos o seu sentimento de mãe.

Ver o seu bebê sentindo dor e não saber como ajudá-lo é realmente muito difícil, mesmo que não haja nenhum problema sério com a saúde dele. 

É natural que você fique mais emotiva no período pós-parto, por conta da mudança radical em sua vida e também das alterações hormonais.

Mas o importante é aprender tudo o que for possível sobre as necessidades do seu bebê para proporcionar a ele um crescimento tranquilo e saudável.

Então se o choro é frequente e irritadiço, é hora de considerar a cólica de bebê e tomar as providências imediatas para saná-la.

Ao ler os tópicos seguintes, você vai entender o que é a cólica de bebê, como saber se o bebê realmente está sentindo cólica, quais são as causas dessa cólica, como evitá-la, quando ela desaparece e, principalmente, como aliviá-la. 

Tenha em mente que a cólica de bebê é comum e tem solução. Então, mãos à obra para garantir o bem-estar do novo membro da sua família. 

O que é a cólica de bebê?

A cólica de bebê pode ser definida como uma síndrome comportamental que se manifesta pela única maneira que o bebê conhece para avisar que não está se sentindo bem: o choro.

Como dissemos, esse choro é carregado de muita irritação e, por mais que você se esforce para acalmar o bebê, o choro se prolonga.

Geralmente o choro é muito forte, estridente e agudo e pode desestabilizar toda a família quando você demora para encontrar uma solução. 

Mas a cólica de bebê não pode ser definida como normalmente se faz com uma patologia comum. 

Isso porque, na maioria das vezes, ela é apenas um reflexo da imaturidade do sistema digestivo do bebê, que ainda está se adaptando.

Além dessa possibilidade, existem diversas outras que podem ser as razões de tanto choro e elas costumam inclusive ocorrer conjuntamente.

Outra possibilidade é que a cólica de bebê seja uma manifestação de desconforto emocional.

Se você se sente despreparada ou cansada com as afazeres de uma mãe de recém-nascido, o seu desconforto pode refletir no bebê.

Lembre-se de que, até bem pouco tempo atrás, ele vivia totalmente ligado a você. E é assim que ele ainda se sente.

Então, pode ser que a solução esteja na criação de um ambiente de conforto e tranquilidade para que a mãe e o bebê convivam juntos. 

Vamos abordar mais detalhadamente as possíveis causas da cólica de bebê no tópico seguinte.  

O que causa a cólica de bebê?

Não está errado o raciocínio de que, se nos primeiros meses de vida, o bebê só se alimenta do leite materno, conforme a recomendação médica padrão, não deve ser a alimentação a causadora da cólica de bebê, afinal de contas, o leite materno é comprovadamente o melhor alimento que se pode oferecer ao bebê.

Por isso, não pense em alterar ou diminuir a alimentação dele para combater a cólica. Isso pode piorar ainda mais a situação. 

O que você pode fazer é se alimentar melhor para dar ao bebê o melhor leite materno possível. 

Existem diversas possíveis causas para a cólica de bebê e vamos fazer uma lista, mas precisamos falar mais especificamente sobre uma delas: a  inserção do bebê em um ambiente muito agitado e barulhento, com muita movimentação de pessoas, em que ele recebe muitos estímulos. 

Isso pode deixá-lo desconfortável e amedrontado, o que é manifestado através da cólica. Portanto, um ambiente de tranquilidade e paz é essencial nos primeiros meses de vida do bebê.

Além disso, como dissemos anteriormente, se os pais estão muito agitados e preocupados com todas as tarefas que têm a cumprir, o seu desconforto pode refletir no bebê causando cólica. 

Nesse caso, não existe fórmula mágica. Você precisa cuidar da própria saúde emocional para ajudar o seu bebê a superar o problema.

Alguns fatores que causam a cólica

Veja a seguir outros possíveis fatores que podem causar a cólica de bebê, além do ambiente agitado e da tensão dos pais.

  • Imaturidade fisiológica: significa apenas que o sistema digestivo do bebê ainda está se adaptando e aprendendo como digerir os alimentos;
  • Gases: podem ser recorrentes por conta de uma má absorção da lactose, que geralmente é passageira;
  • Refluxo: é um problema gastroesofágico considerado normal no primeiro ano de vida, daí a utilização dos conhecidos paninhos de boca;
  • Ingestão de ar: pode ocorrer quando, durante a amamentação, o peito ou a mamadeira não se encaixa adequadamente na boca do bebê. Pode acontecer também porque o bebê ainda não consegue coordenar os atos de respirar e engolir;
  • Hormônios intestinais: hormônios como a motilina, quando têm sua quantidade alterada, podem causar cólicas. Essa também é uma situação passageira;
  • Alergias: é relativamente comum a alergia ao leite de vaca em bebês. Nesse caso, é necessária uma alteração na dieta para combater a cólica;
  • Intolerância à lactose: é bastante incomum em bebês, ocorrendo mais em crianças um pouco maiores.

A alimentação da mãe influencia na cólica de bebê?

Sim, a alimentação da mãe pode influenciar na cólica de bebê, afinal a produção do leite materno depende dela. 

Em geral, os mesmos alimentos que provocam gases em adultos podem gerar desconforto no processo digestivo do bebê. Veja abaixo os principais.

  • Feijão;
  • Lentilha;
  • Ervilha;
  • Brócolis;
  • Couve;
  • Couve-flor;
  • Couve de bruxelas;
  • Nabo;
  • Pepino;
  • Chocolate. 

Como saber que o bebê está com cólica?

O choro é a linguagem universal dos bebês para demonstrar os mais diversos tipos de insatisfação. 

Como saber então se o choro em questão está relacionado à cólica ou a algum outro problema?

Em primeiro lugar, se o bebê estiver chorando porque está com fome ou porque sente falta do colo da mãe, ele não demonstrará o tipo de irritação tão comum relacionada à cólica.

O choro por conta da cólica de bebê é estridente e pode se prolongar por horas, dando a sensação de que nada vai dissuadi-lo de chorar.

Quando o bebê quer colo e você o pega, o choro cessa. Quando ele está com fome e consegue mamar, o choro também cessa.

Mas quando ele está com cólica, essas atitudes parecem irritá-lo ainda mais. Além do choro prolongado, ele pode ficar com o rosto vermelho e com as perninhas encolhidas ou muito agitadas.

A cólica costuma ser recorrente, acontece a partir da segunda semana de vida do bebê pode se repetir por três ou mais dias da semana. 

Seu ápice geralmente ocorre entre o segundo e o terceiro mês e, ao longo desse período, a mãe aprende a identificar os diferentes tipos de choro. 

Quando a cólica de bebê desaparece?

É claro que você vai tomar as providências necessárias para aliviar o desconforto do seu bebê, mas, se a cólica é tão comum, quando é que ela costuma desaparecer naturalmente?

Se a cólica de bebê ocorrer em virtude de uma fase de adaptação e amadurecimento do sistema digestivo, ela vai desaparecer por volta do sexto mês de vida dele.

Mas existem casos em que ela pode prevalecer após esse período, dependendo da alimentação e das reações do organismo do bebê.

Nesses casos, é importante relatar o problema ao médico para a obtenção de um diagnóstico mais preciso. 

Como aliviar a cólica de bebê?

Em seguida, vamos enumerar algumas coisas que você pode fazer para aliviar a cólica do seu bebê. 

  • Proporcionar um ambiente tranquilo e agradável para que ele se sinta seguro. Você pode colocar uma música relaxante, por exemplo;
  • Dar preferência ao leite materno, sempre que possível, em detrimento da mamadeira;
  • Por o bebê para arrotar sempre depois de amamentá-lo;
  • Massagear a barriga do bebê fazendo movimentos circulares e com uma leve compressão (você pode utilizar óleos e hidratantes infantis);
  • Colocar uma compressa ou bolsa de água morna sobre a barriga do bebê (tome cuidado com a temperatura para não causar queimaduras);
  • Dar um banho morno no bebê;
  • Colocá-lo em contato com a sua pele;
  • Colocar o bebê deitado de barriga para cima e empurrar repetidamente as perninhas em direção à barriga, de modo a comprimi-la levemente;
  • Colocar o bebê deitado de barriga para cima e fazer movimentos com as perninhas como se ele estivesse pedalando;
  • Utilizar medicamentos que estimulem a liberação de gases (somente quando esta for a recomendação médica).

Como evitar as cólicas no bebê?

Agora vamos listar algumas sugestões que podem ajudar a evitar ou diminuir a frequência da cólica de bebê.

  • Crie uma ambientação tranquila e relaxante para o bebê assim que vocês chegarem da maternidade;
  • Como dissemos, os recém-nascidos ainda estão muito ligados à mãe e o quanto mais você puder manter contato com ele, pele com pele, mais confortável ele vai se sentir;
  • Certifique-se de que o peito ou a mamadeira está encaixado corretamente na boca do bebê durante a amamentação;
  • Alimente o bebê sempre que ele tiver fome;
  • Sente-se com a coluna ereta durante a amamentação, para evitar que o bebê engula ar;
  • Nunca se esqueça de colocar o bebê para arrotar depois das mamadas

A cólica de bebê não é um problema tão complicado, mas você precisa estar bem emocionalmente para lidar com ela. Conte-nos nos comentários como tem sido sua experiência e o que mais alivia a cólica do seu bebê. Até o próximo artigo!

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia Também

Exame de curva glicêmica. Entenda a importância

Curva glicêmica: O que é e qual a sua importância

0
Toda gestante deve fazer o acompanhamento pré-natal em dia e realizar todos os exames solicitados por seu médico, garantindo, assim, um desenvolvimento saudável para...
Desenvolvimento de gravidez semana a semana

Desenvolvimento da gravidez semana a semana: 4ª semana

0
Na semana passada demos início a uma série de artigos sobre o desenvolvimento da gravidez semana a semana aqui no blog.  No primeiro artigo da...
Tabela chinesa para descoberta do sexo do bebê

Tabela chinesa: Entenda o que é e como funciona

0
Depois de fazer o teste de gravidez e ter a certeza de que o seu bebê está a caminho, você quer preparar tudo para...
Desenvolvimento da gravidez semana a semana

Gravidez semana a semana: 1ª a 3ª semana

0
Depois de fazer o teste de gravidez e ter a confirmação de que você vai ser mamãe, surge a ansiedade para ver sua barriga...
Diabete gestacional: Quando se preocupar?

Diabetes Gestacional: Sintomas, causas e tratamento

0
O diabetes gestacional é um problema relativamente comum que, nas últimas décadas, tem apresentado um aumento progressivo. Dependendo da localidade, entre 2 e 15% das...