Início Saúde da Mulher Corrimento Vaginal: Quando se preocupar?

Corrimento Vaginal: Quando se preocupar?

-

O corrimento vaginal é bastante comum e praticamente toda mulher lida com ele em algum momento da vida.

Por ele raramente causar dores ou algum desconforto, muitas mulheres não o consideram um problema e não investigam suas causas. Mas essa não é a atitude ideal.

Conhecer o seu corpo e prestar atenção aos sinais dados por ele é o primeiro passo do autocuidado. Você não pode cuidar da sua família, do filho, da casa ou do trabalho se não cuidar de si mesma primeiro. 

Não importa o quanto sua rotina seja corrida, fique atenta ao seu corpo. O corrimento vaginal pode ser natural, mas também pode indicar que algo de errado está acontecendo.

 O seu organismo precisa funcionar de forma adequada para que todas as suas tarefas sejam realizadas satisfatoriamente. Então, é hora de colocar a sua saúde em primeiro lugar.

O nosso assunto neste artigo é o corrimento vaginal. Vamos explicar o que é esse corrimento e quando ele é normal ou anormal.

Também vamos falar sobre os tipos mais comuns de corrimento vaginal e suas causas mais recorrentes, além dos tratamentos mais utilizados.

Leia os próximos tópicos para tirar suas principais dúvidas e, se for necessário, agende uma visita ao seu ginecologista.

O que é corrimento vaginal?

Chamamos de corrimento vaginal a secreção de fluidos pela vagina, independente de serem fluidos normais ou indicarem alguma infecção.

Isso significa que você pode ter um corrimento vaginal frequente ou regular e ele ser completamente natural, não demandando nenhuma preocupação.

Mas, dependendo do tipo de secreção, o corrimento pode ser preocupante e você não pode esperar outros sintomas de um problema de saúde para investigá-lo e resolvê-lo.

Então nos próximos tópicos, vamos te ajudar a fazer a diferenciação entre o corrimento vaginal natural e aquele que indica doença ginecológica. 

No caso do corrimento vaginal natural, mesmo que você se sinta desconfortável com as secreções, elas têm um papel importante na manutenção da sua saúde íntima.

Esses fluidos colaboram o descarte de bactérias do sistema reprodutor e de células mortas e são produzidos pelas glândulas do canal da vagina.

Em outras palavras, esse processo ajuda a prevenir as infecções e mantém a vagina limpa. 

Mas para considerar que tudo está dentro da normalidade, o corrimento vaginal deve ser inodoro e claro. Se ele tiver mau cheiro e coloração amarelada ou esverdeada certamente não é um bom sinal. 

Se a secreção com cheiro e coloração mais acentuada vier acompanhada de dor ou coceira, é muito provável que você esteja com algum tipo de infecção.

Vamos falar mais sobre o corrimento normal e o anormal nos tópicos seguintes.

Corrimento vaginal normal

O corrimento é chamado de corrimento vaginal fisiológico e é considerado normal. Ele não está relacionado a doenças e é muito comum em mulheres em idade reprodutiva.

Em termos quantitativos, ele pode variar de 1 a 4 ml por dia, sendo composto por bactérias da flora vaginal, células mortas e muco. 

A principal função desse tipo de corrimento vaginal é justamente evitar as infecções, mantendo a vagina limpa, lubrificada e umedecida. 

Por estar relacionado com o aumento dos níveis de estrogênio, o volume do corrimento vaginal fisiológico pode aumentar nas seguintes situações:

  • Durante a gravidez;
  • Nos dias próximos à ovulação;
  • Nos dias próximos à menstruação;
  • Quando você faz uso de anticoncepcionais à base de estrogênio.

Para identificar se o seu corrimento é normal, fique atenta aos seguintes detalhes:

  • Quanto à coloração, ele pode ser transparente, leitoso ou branco;
  • No que se refere à textura, ele pode ser aquoso, elástico ou mais espesso;
  • Quanto ao cheiro, ele pode ter um odor muito suave ou ser inodoro.

Além desses detalhes, para ser normal, o corrimento vaginal não pode ser acompanhado de coceira, ardência, vermelhidão ou dor tanto na vulva quanto na parte interna da vagina. 

O máximo que pode ocorrer é uma leve irritação na vulva acompanhando o corrimento fisiológico. 

Corrimento vaginal anormal

O corrimento considerado anormal está sempre associado a alguma doença ginecológica e é chamado de leucorreia ou corrimento patológico.

Nos casos mais comuns em que a mulher apresenta esse tipo de corrimento, ele sinaliza infecções chamadas pelos médicos de vaginites ou colpites. 

Essas infecções podem ser causadas por bactérias ou fungos. A dúvida pode ser esclarecida através de exames.

Mas o corrimento anormal também pode acontecer devido a alergias a determinadas substâncias ou à atrofia da mucosa vaginal depois da menopausa.

Seja qual for a causa, você precisa ficar atenta, pois nem sempre esse tipo de corrimento vem acompanhado por outros sintomas.

Se você tem um corrimento cuja coloração foge do branco ou transparente, ele não é normal, ainda mais se tiver um odor mais acentuado.

Então lembre-se de que muitas vezes o corrimento será o único sintoma de uma infecção, mas pode ser que ele venha acompanhado por coceira, dor ou ardência. 

No tópico seguinte, vamos classificar o corrimento vaginal quanto à coloração e apontar suas principais causas. 

Tipos de corrimento vaginal quanto à coloração

Como dissemos anteriormente, o corrimento vaginal transparente ou esbranquiçado muitas vezes pode ser apenas uma secreção natural.

Quando foge dessas características e apresenta outras colorações, ele pode ser um indício de infecção.

Vamos ver a seguir os principais tipos de corrimento anormal e suas causas mais comuns. 

Corrimento amarelado ou esverdeado

Na maioria das vezes, essa coloração indica uma infecção. Suas principais causas são a tricomoníase, a gonorreia e a clamídia.

Se no mesmo período desse corrimento você sentir dor ou uma sensação de queimação ao urinar e durante a relação sexual, é quase certo o diagnóstico de infecção.

Por outro lado, o corrimento vaginal considerado normal, ainda que seja branco ou transparente, pode ficar amarelado após algum tempo de contato com a roupa íntima. 

Mas, na dúvida, o melhor é consultar um médico e fazer uma avaliação mais precisa.

Corrimento marrom

A coloração marrom ou castanha pode ocorrer devido à existência de algum sangramento na vagina ou no útero. Esse sangramento pode acontecer devido a diferentes situações, como as seguintes: 

  • A mistura de restos de menstruação ao corrimento natural;
  • Traumas na região da vagina ou do útero;
  • Tumores ginecológicos;
  • Atrofia vaginal;
  • Corpo estranho na vagina;
  • Gravidez ectópica;
  • Implantação do embrião no útero nos primeiros dias de gravidez. 

Além disso, assim como o corrimento de coloração amarelada, a cor marrom ou castanha das secreções pode indicar infecções, como a gonorreia. 

Corrimento branco ou acinzentado

Na maior parte das situações o corrimento de coloração branca é considerado normal, mas há situações em que é melhor ficar atenta.

Se você detectar que ele tem aspecto acinzentado e textura mais espessa ou pastosa, procure o seu ginecologista.

Nesse caso, a causa do corrimento pode ser uma infecção bacteriana ou a candidíase (infecção causada por fungo). 

Corrimento rosado

O corrimento de coloração rosa geralmente está associado ao início da gravidez, sendo causado pela fecundação do óvulo.

Ele pode ser acompanhado por cólicas leves que acontecem geralmente até três dias após a relação sexual.

Consultar o seu médico, é sempre importante, principalmente se você estiver grávida, mas raramente esse tipo de corrimento é considerado preocupante. 

Causas mais comuns do corrimento vaginal 

Como vimos, o corrimento vaginal pode ser natural ou um sinal de gravidez, mas também pode ser um indício de infecção bacteriana, tricomoníase, gonorreia, clamídia, candidíase, entre outras patologias.

Vamos falar sobre algumas dessas causas a seguir.

Infecção bacteriana

Esta é a principal causa dos corrimentos vaginais em geral e acontece por conta de desequilíbrios na flora vaginal.

Você tem uma infecção bacteriana quando há uma redução na quantidade de bactérias boas (os lactobacillus) e um consequente aumento das bactérias “ruins”, chamadas de aerofóbicas.

Nesses casos, pode haver o crescimento de diversas bactérias na região da vagina.  A vaginose bacteriana quase nunca é causada por um único tipo de bactéria.

Tricomoníase 

A tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível causada por um protozoário (o Trichomonas vaginalis).

Nesse caso, o corrimento geralmente tem um odor desagradável e acompanha outros sintomas como a dor e o sangramento ao urinar ou durante o coito. 

Pois como nesse caso pode haver inflamação, a patologia é classificada como vaginite. Já as infecções por bactérias, em que não há inflamação, são chamadas de vaginoses. 

Mas diagnóstico da tricomoníase pode ser difícil, porque a doença pode permanecer assintomática por bastante tempo.

Gonorreia e clamídia

Temos aqui duas doenças sexualmente transmissíveis. Ambas são causadas por bactérias: a gonorreia pela Neisseria gonorrhoeae e a clamídia pela Chlamydia trachomatis.

Agrupamos as duas patologias porque ambas causam infecção no colo do útero que resulta em um corrimento amarelado.

Os sintomas também são semelhantes, como dor e sangramento ao urinar e após o ato sexual.

Candidíase 

Já falamos sobre a candidíase aqui no blog. Ela é causada por um fungo que também pode fazer parte da flora natural da vagina e do intestino. 

A doença se manifesta, porém, quando há um desequilíbrio nas condições normais do organismo e a consequente multiplicação exagerada do fungo.

Então o corrimento decorrente da candidíase geralmente é espesso e não apresenta odor muito forte. 

Mas outros sintomas associados são as dores ao urinar e durante o ato sexual, além da ardência na vulva. 

Tratamentos mais comuns 

Primeiramente é preciso dizer que não existe um tratamento único que resolva qualquer tipo de corrimento vaginal. 

Além disso, o corrimento é um sintoma e não a doença em si. Então, primeiro é preciso identificar sua origem e sua causa.

Para isso, você deve consultar o seu médico e realizar os exames necessários. Após o diagnóstico, o tratamento pode ser feito via oral, por meio de antibióticos ou antifúngicos, mas também com cremes e pomadas específicos, dependendo de cada caso. 

Então, se você tem um corrimento vaginal que foge das características de um corrimento normal, procure o seu ginecologista. Na maioria das vezes, o problema não é grave, mas o tratamento é importante. 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia Também

Exame de curva glicêmica. Entenda a importância

Curva glicêmica: O que é e qual a sua importância

0
Toda gestante deve fazer o acompanhamento pré-natal em dia e realizar todos os exames solicitados por seu médico, garantindo, assim, um desenvolvimento saudável para...
Desenvolvimento de gravidez semana a semana

Desenvolvimento da gravidez semana a semana: 4ª semana

0
Na semana passada demos início a uma série de artigos sobre o desenvolvimento da gravidez semana a semana aqui no blog.  No primeiro artigo da...
Tabela chinesa para descoberta do sexo do bebê

Tabela chinesa: Entenda o que é e como funciona

0
Depois de fazer o teste de gravidez e ter a certeza de que o seu bebê está a caminho, você quer preparar tudo para...
Desenvolvimento da gravidez semana a semana

Gravidez semana a semana: 1ª a 3ª semana

0
Depois de fazer o teste de gravidez e ter a confirmação de que você vai ser mamãe, surge a ansiedade para ver sua barriga...
Diabete gestacional: Quando se preocupar?

Diabetes Gestacional: Sintomas, causas e tratamento

0
O diabetes gestacional é um problema relativamente comum que, nas últimas décadas, tem apresentado um aumento progressivo. Dependendo da localidade, entre 2 e 15% das...