Início Gravidez Infecção Urinária na gravidez: Quais são os riscos?

Infecção Urinária na gravidez: Quais são os riscos?

-

As chances de desenvolver uma infecção urinária na gravidez são grandes.

Mas grande parte das grávidas costumam ser muito cuidadosas, fogem de hábitos e alimentos que não favorecem uma vida saudável e fazem de tudo para evitar problemas de saúde, incluindo a infecção urinária.

Então é natural a preocupação com o seu bebê, mas existem algumas dificuldades que podem surgir independentemente dos seus cuidados.

É por isso que neste artigo vamos falar sobre os riscos da infecção urinária na gravidez.

Problemas com a Infecção Urinária

A infecção urinária na gravidez é considerada muito comum por conta das diversas alterações que acontecem no corpo feminino e que favorecem o surgimento das bactérias no trato urinário.

Pode parecer um tremendo problema, mas a maioria das grávidas passa por isso em algum momento da gestação. Então, não se desespere caso aconteça com você.

Mas a boa notícia é que, por ser um problema tão comum, já existem tratamentos adequados que resolvem a infecção sem prejudicar o bebê.

Porém é claro que, se você detectar a infecção urinária na gravidez, deve procurar o seu médico e iniciar o tratamento o quanto antes.

Por não ser um problema considerado grave, muitas mulheres não se preocupam com os riscos da infecção urinária na gravidez e isso é um erro.

Mas se você achar que é um problema muito pequeno ou desistir de fazer o tratamento por não querer usar medicamentos durante a gestação, a situação pode piorar.

A infecção urinária na gravidez pode sim ter consequências para você e para o bebê.

Então ela precisa ser tratada, mesmo que sendo muito comum. E quando você procura o médico ao primeiro sinal da infecção, tudo fica mais fácil.

Nos tópicos seguintes, vamos tirar as principais dúvidas sobre os riscos da infecção urinária na gravidez: os sintomas, as possíveis consequências para o bebê e para a mãe, o tratamento e a prevenção.

Sintomas da infecção urinária na gravidez

Como o é ideal que todo o processo gestacional seja acompanhado de perto pelo seu ginecologista e pelo obstetra, ao primeiro desconforto urinário você já deve procurar o seu médico.

Mas os sintomas da infecção urinária na gravidez podem variar muito, dependendo da parte do trato urinário que está sendo afetada.

Então as consideradas infecções urinárias são todas as infecções relacionadas aos  rins, bexiga ou uretra.

Por isso, os médicos subdividem as infecções urinárias em três grupos:  a pielonefrite (infecção dos rins), a cistite (infecção da bexiga) e a uretrite (infecção da uretra).

A cistite é chamada de infecção urinária baixa e geralmente tem como sintomas a dor ou a ardência ao urinar, além do aumento das idas ao banheiro.

Como este último sintoma é uma característica da própria gravidez, fica mais difícil detectá-lo como sinal de infecção.

A consulta ao médico e o exame de urina podem tirar essa dúvida. E você também deve ficar atenta à associação desse aumento das idas ao banheiro com outros sintomas.

Já a pielonefrite é chamada de infecção urinária alta e tem como sintomas a febre e a dor lombar, além dos mesmos sintomas da cistite.

A uretrite, por sua vez, também pode causar os sintomas acima citados, além de possíveis secreções.

Vamos listar abaixo os principais sintomas da infecção urinária na gravidez, independentemente da parte do trato urinário, para que você possa conferir se apresenta um ou mais entre eles.

  • Dor ao urinar;
  • Sensação de queimação ou ardência ao urinar;
  • Vontade frequente de urinar;
  • Sensação de que não consegue esvaziar a bexiga;
  • Peso ou desconforto na região da bexiga;
  • Presença de sangue ou outra secreção na urina;
  • Febre;
  • Dor lombar;
  • Náuseas e vômito.

Riscos para o bebê

Como dissemos na introdução deste post, os riscos da infecção urinária na gravidez podem ser diminuídos ou reduzidos a zero se o diagnóstico e o tratamento forem feitos assim que você notar os primeiros sintomas.

Então, os riscos que vamos listar em seguida estão quase sempre associados à falta de tratamento e ao tratamento tardio para a infecção urinária na gravidez.

Vamos à lista:

  • Aborto espotâneo: acontece nos casos de pielonefrite aguda no primeiro trimestre da gravidez, período em que o embrião ainda está muito vulnevável;
  • Ruptura prematura da bolsa: a infecção urinária não tratada pode provocar o rompimento da bolsa e a perda do líquido amniótico pode culminar em um parto prematuro;
  • Parto prematuro: as bactérias que causam a infecção urinária na gravidez liberam toxinas e estimulam as contrações do útero e o consequente parto prematuro. Para evitar essa situação, além de fazer o tratamento, é importante que a gestante repouse;
  • Baixo peso do bebê: muitas vezes a infecção urinária na gravidez impede a chegada de nutrientes ao bebê, o que o faz nascer abaixo do peso esperado e, por conta disso, ele pode ter problemas respiratórios, hipoglicemia e infecções;
  • Infecção neonatal: se a gestante estiver com infecção urinária no momento do parto, o bebê pode ser contaminado com as bactérias da mãe ao passar pelo canal vaginal;
  • Problemas respiratórios: um bebê cuja mãe teve infecção urinária na gravidez sem fazer o tratamento adequado pode ter problemas como pneumonia e asma durante toda a infância.

Riscos para a mãe

É muito comum que a principal preocupação das mulheres seja com o bem-estar dos seus bebês. O instinto materno quer sempre garantir o melhor para eles.

Não há nada de errado nisso, mas como mulher é importante que você se preocupe com a sua saúde e o seu bem-estar também.

Só assim você poderá ser uma ótima mãe e aproveitar todos os momentos do desenvolvimento do seu bebê.

É por isso que, ao detectar uma infecção urinária na gravidez, você deve fazer o tratamento visando não somente à proteção do bebê, mas também o seu autocuidado.

Vamos ver então os riscos da infecção urinária na gravidez que as mães sofrem quando não há o diagnóstico e o tratamento adequado.

  • Infecção generalizada: quando o tratamento não é feito ou é feito de maneira inadequada, a infecção urinária pode tomar proporções maiores no organismo da mulher;
  • Comprometimento do funcionamento renal: por mais simples que seja, uma infecção urinária baixa não tratada pode evoluir para uma infecção urinária alta e chegar ao extremo, comprometendo o funcionamento dos seus rins;
  • Disfunção orgânica: ocorre quando há uma resposta desregulada do organismo à infecção, que pode até ameaçar a vida da gestante;
  • Febre, náuseas e dores de cabeça: também são possíveis reações do organismo a uma infecção que não recebeu o tratamento necessário.

Tratamento para a infecção urinária na gravidez

Há um senso comum de que mulheres grávidas não devem tomar medicamentos para não prejudicarem o bebê.

Obviamente não se deve tomar nenhum medicamento por conta própria, nem mesmo por quem não está grávida. A consulta ao médico é fundamental.

Ele vai conseguir diagnosticar a infecção urinária na gravidez depois que você fizer um exame de urina comum.

E se o seu médico recomendar uma medicação para combater uma infecção urinária, não exite em seguir os conselhos dele.

Como você já viu, os riscos da infecção urinária na gravidez são muitos e as consequências podem ser assustadoras.

Quando o médico responsável pelo seu pré-natal recomenda um medicamento, ele está ciente sobre o andamento da sua gravidez. Então, faça o tratamento e não se preocupe.

Geralmente a infecção urinária na gravidez se combate com antibióticos sendo necessário tomar por um período que vai de 7 a 14 dias.

Mas não pense que basta pesquisar quais são os medicamentos mais usados e resolver o problema por conta própria.

Muitos antibióticos usados para tratar infecção urinária são contraindicados em casos de gravidez porque podem prejudicar seriamente o desenvolvimento do bebê.

Então, mais uma vez: relate os possíveis sintomas para o seu médico e faça o exame de urina para tomar o medicamento mais adequado e proteger o seu bebê.

Mas quando a infecção é mais grave e chega a atingir os rins, é comum a internação, para que a gestante possa receber os antibióticos diretamente na veia.

Então nesse caso, quando a paciente fica assintomática, inclusive sem febre, por mais de 48 horas, ela pode receber alta hospitalar.

Prevenção: evitando a infecção urinária na gravidez

Como já foi dito, muitas vezes a infecção urinária pode surgir ainda que a gestante seja muito cuidadosa. Isso ocorre devido às mudanças que ocorrem no organismo durante a gestação.

Mesmo assim, há alguns cuidados que você pode tomar para diminuir as chances do surgimento da infecção urinária na gravidez. Vamos listá-los a seguir.

  • Faça o acompanhamento pré-natal: você já sabe da importância disso, mas sempre é bom lembrar. Durante o pré-natal, normalmente, são feitos exames de urina trimestrais, que podem detectar infecções assintomáticas;
  • Mantenha-se hidratada: a recomendação é que você beba pelo menos dois litros de água diariamente, além de sucos naturais;
  • Mantenha uma boa alimentação: uma alimentação balanceada vai aumentar a sua imunidade e o seu organismo vai conseguir se defender de possíveis infecções;
  • Não retenha a urina: vá ao banheiro sempre que sentir vontade e mantenha a bexiga vazia;
  • Mantenha a região genital seca: após urinar, seque sem esfregar a área genital e sempre limpe com um movimento da frente para trás;
  • Evite cosméticos com cheiros fortes: deixe de lado os sabonetes, cremes, perfumes, sprays e quaisquer produtos de higiene íntima que tenham cheiro forte. Eles podem causar irritação em uma região que já está vulnerável;
  • Use roupas íntimas de algodão: elas vão ajudar a manter a região genital seca, já que as bactérias se proliferam em áreas úmidas.

Então, quais desses hábitos você já cultiva? Praticamente todos eles servem para não grávidas também. Então, se você não os segue, já pode fazer uma listinha para mudar os hábitos.

Esperamos que nosso artigo tenha ajudado a esclarecer suas dúvidas sobre os riscos da infecção urinária na gestação e que sua gravidez seja saudável e tranquila. Até o próximo post!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Leia Também

5 dicas para auxiliar seu filho nas tarefas escolares

5 Dicas para Fazer Atividades Educacionais com seu Filho em Casa

0
No último ano, as atividades educacionais de nossas crianças foram diretamente afetadas com a pandemia do Coronavirus. Isso se estende até hoje, visto que...
Tampão mucoso Saiba como identificar

Tampão mucoso: o que é e como identificar

0
O seu bebê está para chegar e você fica totalmente alerta. Pesquisa sobre todos os assuntos relacionados à gravidez e à maternidade e algumas...
Infecção Urinária na Gravidez

Infecção Urinária na gravidez: Quais são os riscos?

0
As chances de desenvolver uma infecção urinária na gravidez são grandes. Mas grande parte das grávidas costumam ser muito cuidadosas, fogem de hábitos e alimentos...
Corrimento Vaginal: quando é normal

Corrimento Vaginal: Quando se preocupar?

0
O corrimento vaginal é bastante comum e praticamente toda mulher lida com ele em algum momento da vida. Por ele raramente causar dores ou algum...
Candidíase: O que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

Candidíase: O que é, tipos, sintomas e tratamento

0
Candidíase: O que é, tipos, sintomas e tratamento Você sabe o que é candidíase? Muito lembrada por causar sintomas relacionados aos órgãos genitais femininos, ela...